Você sabia que 75% das vezes, a credibilidade dos site é julgada com base na estética? E, a depender das preferências e tendências dos usuários, o termo estética é bastante vago, o que significa que a experiência geral do usuário é ainda mais importante – e complexa.

Da próxima vez que você iniciar um projeto de UX (Experiência do Usuário), lembre-se desta checklist. Isso ajudará você a se manter alinhado aos seus objetivos de negócios, entender seu usuário e evitar erros dispendiosos.

 

1. Alinhar as buyer personas às personas dos leitores

Nem todos os seus compradores irão ler e nem todos os seus leitores irão comprar. Porém, você deve conhecer tanto as buyer personas (compradores) quanto as personas do leitor, antes de pensar em UX.

Essas representações fictícias e generalizadas de seus clientes ideais ajudarão você a criar conteúdo mais valioso. Quando o comprador e o leitor se alinham, cria uma experiência de usuário mais personalizada.

Por exemplo, um diretor financeiro vai querer artigos e soluções diferentes do que um profissional de RH. E não importa o quão chatos os estudos de caso, dados e artigos possam ser para um consumidor comum, isso é crítico para o seu comprador B2B (Business to Business).

Mais da metade dos compradores de B2B confia no conteúdo para pesquisar suas decisões de compra – e eles querem um conteúdo interativo mais curto e que seja útil.

2. Certifique-se de que a jornada faz sentido de todos os ângulos

Um fluxo de usuários eficiente ajuda a direcionar seus usuários para algo. Você quer que eles reservem uma consulta? Compre um produto? Baixe seu ebook?

Nem todo mundo vai começar a jornada a partir da página inicial do site, e nem todos terão os mesmos objetivos. Certifique-se de que seu usuário tenha uma jornada clara de todos os ângulos.

3. Tenha um brainstorm produtivo

Todo mundo adora uma boa sessão de brainstorming, especialmente quando há lanches e café, mas essas reuniões geralmente são uma perda de tempo. Fala-se muito e resolve-se pouco.

Além disso, nem todas as pessoas se sentem confortáveis e são produtivas nesse tipo de atmosfera pública de alta pressão. Às vezes, é melhor quando as pessoas pensam sozinhas e depois se reúnem para compartilhar suas descobertas.

Entenda o que sua equipe precisa e como eles funcionam melhor. Depois, dê a eles o espaço para trabalhar. Por exemplo, alguns colegas de equipe preferem deixar comentários em um documento compartilhado.

4. Faça wireframes sem esforço com uma lista de inventário impecável

Se os fluxos de usuários forem explícitos e você planejar bem o seu hub de conteúdo, criar wireframes deverá ser fácil.

Evite formatos confusos para seus inventários de conteúdo. Eles só atrapalham os designers e equipe. Depois de ter um inventário de conteúdo finalizado, você pode criar uma hierarquia visual bem definida.

5. Assegure-se de que todos os elementos da interface do usuário sejam autênticos e acessíveis

Você já usou um aplicativo ou site e parece que seus dedos nunca chegam ao botão direito? Para ser tocado com precisão com um dedo, os controles devem medir pelo menos 44 pontos x 44 pontos, por exemplo.

Outro problema comum é o alinhamento. Às vezes você encontra um ótimo produto, mas o texto da descrição é muito longo. Então, você desiste na metade do caminho. Alinhe o texto, as imagens e os botões para mostrar às pessoas como as informações estão relacionadas. Facilite a compra do seu produto.

6. Encontre e corrija as rotas vermelhas

Quando você tem um bom wireframe, é muito mais fácil ver as chamadas “rotas vermelhas”, ou os obstáculos à usabilidade.

Trate todos os casos de UX como únicos. Se um site tiver muitas páginas de destino e formulários, isso geralmente se traduz em uma taxa de rejeição maior. Uma boa taxa de rejeição é de 26 a 40%; uma taxa de rejeição ideal é de 0 a 25%.

7. Comunique uma mensagem de marca fácil de reconhecer

A linguagem é algo bastante complexo. E a linguagem que fala com a personalidade da sua marca e é implementada adequadamente em todos os canais é ainda mais complicada.

Seus redatores devem criar um conjunto claro de diretrizes de marca antes mesmo de começar.

Para manter a consistência, certifique-se de que você e os designers tenham um conjunto dessas diretrizes à sua frente o tempo todo. Seus redatores e clientes agradecerão.

8. Certifique-se de que sua hierarquia de fontes e cores esteja na marca

Você tem uma hierarquia completa de cores e tons para a presença de sua marca? Eles podem ser aplicados em todos os canais?

Certifique-se de que suas cores sejam reconhecíveis em seu site e em outros canais. Ou seja, o Pinterest pode exigir tons mais claros do que o Instagram.

9. Verifique a usabilidade em todos os dispositivos

Apesar da abundância de dispositivos e ferramentas no mercado, muitos desenvolvedores esquecem de verificar a usabilidade em vários deles.

Não confie apenas na sua tela. Teste seu produto na maior quantidade de dispositivos diferentes possível.

10. Encontre seu ponto ideal de velocidade

Antes de decidir economizar dinheiro com hospedagem de alta qualidade, lembre-se de que 40% dos usuários deixaram um site se levasse mais de três segundos para carregar.

A redução da velocidade de carregamento de seu site de oito para dois segundos pode aumentar sua taxa de conversão em 74%.

11. Faça com que os KPIs da UX funcionem para suas metas de negócios

Cada projeto deve ter indicadores chave de desempenho (KPIs). Como estes são diferentes das taxas de conversão testadas e verdadeiras? Eles permitem que você se aprofunde para identificar uma solução.

Por exemplo, um KPI pode ser o tempo até os usuários clicarem. Quanto mais tempo isso se torna, mais óbvio é que existem obstáculos como o tempo de carregamento ou o comprimento do conteúdo entre você e o sucesso.

12. Ferramentas de analytics para UX fáceis de usar

Faça engenharia reversa das ferramentas de que você precisa. Comece com as metas, tarefas e respostas que você procura e, em seguida, trabalhe de trás para frente. O crescimento dos negócios a longo prazo baseia-se em sistemas bem integrados que economizam o tempo da sua equipe.

13. Receba feedback dos seus usuários

Sua equipe de atendimento ao cliente é o seu segredo para solucionar problemas de UX, e uma chance para você conhecer a fila da frente.

Envolva-se com esse departamento e crie um ciclo de feedback antes que os usuários negligenciados coloquem um impacto em seu negócio.

Certifique-se de que os representantes de vendas se sintam apreciados e crie um sistema em que os representantes dos clientes possam inserir rapidamente informações sobre problemas de usabilidade.

Por fim, alinhe suas equipes e faça com que elas saibam que você confia nelas para ajudar a melhorar seu produto.


Precisa de um site, aplicativo ou quer melhorar seu design?
Você pode contratar a agência Rian Design

Para palestras, workshops e cursos, fale diretamente com o Rian