Desde que o Google decretou que os sites responsivos seriam melhores classificados do que os não-responsivos, em seus resultados de pesquisa, houve uma correria atrás do mobile first.

A lógica por trás do que o pessoal de marketing gosta de chamar de “Mobilegeddon” era que, à medida que os usuários da web continuam a gastar mais tempo em dispositivos móveis do que desktops, os designers deveriam estar trabalhando para aperfeiçoar essa experiência.

Contudo, a qualidade dessa experiência depende também de outros critérios.

Em uma análise realizada pela econsultancy.com do estudo Searchmetrics de 2015, nos rankings de pesquisa do Google, descobriu-se que, além do design responsivo, existem quatro outros elementos de design e desenvolvimento que foram encontrados em sites com melhor classificação.

Design responsivo

Mais pessoas acessam a internet através de dispositivos móveis do que PCs tradicionais

Se o Google ignorasse o design responsivo, eles ignorariam mais da metade dos usuários.

Em média, 30% dos sites que aparecem nos 30 principais resultados de pesquisa do Google dos Estados Unidos têm design responsivo.

Elementos interativos

Elementos interativos, como menus, botões e caixas suspensas, tornam um site mais fácil de usar e mais intuitivo (todos começamos a ler os sites da mesma maneira).

No estudo, verificou-se que as páginas de maior ranking usam mais desses componentes.

Links internos

Você sabe, trabalhar com backlinks é importante para tornar seu site mais visível.

Em comparação com 2014, o número de links internos por página, no top 10 e os 30 mais bem classificados, aumentou.

No entanto, é importante ainda ter cuidado para não sair jogando link para tudo quanto é lado em seu site.

O bom designer está ciente do equilíbrio delicado.

O Google não está simplesmente olhando o número total de links internos, eles estão observando como os links estão sendo usados para orientar usuários através do site.

Imagens

As imagens de qualidade orientam o usuário para partes importantes de um site.

Elas também deixam o site mais agradável e atraente.

O estudo descobriu que os 30 sites melhores classificados usam cerca de 25% mais imagens em suas páginas de destino em comparação com um ano atrás.

Listas e bullets points

As listas e os bullets points tornam mais fácil para os usuários ler e absorver conteúdo.

Ciro Botino – o qual sou fã – adora usar bullets em suas postagens em seu perfil do LinkedIn. Eu mesmo copiei isso dele, e assumo isso. Minhas postagens ficaram bem mais legíveis e explicativas.

Qualquer escritor de e-mail consciente, sabe disso. O Google escolhe esses elementos de design que tornam a experiência de usuário melhor.

Conclusão

Como você pôde ver, há vários truques e elementos de UX e UI design que ajudam o seu site ter um melhor posicionamento nos resultados de pesquisa do Google.

Ter um site responsivo, que se adapta para desktops e dispositivos mobile, usar imagens e se preocupar com como o seu conteúdo é apresentado no site, usando boas técnicas e padrões de arquitetura da informação, certamente te ajudará a ter um site melhor classificado nos mecanismos de busca.

Quais técnicas e UX e UI design você usa para melhorar o posicionamento do seu site no Google?

 


Precisa de um site, aplicativo ou quer melhorar seu design?
Você pode contratar a agência Rian Design

Para palestras, workshops e cursos, fale diretamente com o Rian